domingo, 27 de abril de 2014

Buscando o timbre dos Sonhos - Moldando o meu som pt. 1 - Introdução


 Já faz um tempo que venho tentando obter um sólido timbre de guitarra, com clareza suficiente para tocar acordes, peso para tocar riffs, sustain para solos etc... Porém todos sabemos que isso não é nada fácil.  Vamos lá, quem nunca tocou e sentiu necessidade de uma dessas características que eu falei acima? Ou ainda mais a fundo, quem nunca se sentiu insatisfeito com o som, mexeu um pouco nos controles do amp e não chegou ao resultado que queria? Esse texto é sobre essa frustração e sobre como canalizo isto para tentar chegar no meu som.

 Este texto tem o formato de manual, e isto serve apenas pra facilitar, sistematizar o processo. Porém não quero te dizer como você deve fazer as coisas, eu vou te dizer como EU faço as coisas, e espero que isto te ajude a encontrar o seu som. Este "metodo" foi algo que criei exclusivamente pra mim, porém decidi que seria interessante poder dividir o conhecimento com mais gente e difundir as ideias.

 A ideia toda deste material se baseia em um fundamento: sempre que tentamos obter um determinado som encontramos dificuldades devidas a um grande número de possibilidades.

 Por ex: Jonny é fã descarado de rockabilly e guitarristas das antigas como Scott Moore. Quando toca com sua banda ou em casa sozinho sempre tenta reproduzir aqueles riffs com som praticamente limpo e bem estalado, usando palheta e dedos. O que o incomoda é não conseguir os mesmos agudos consistentes que ele ouve na sua seleção preferida de bandas.

 Como pode ele então atingir diretamente o X da questão e resolver seu problema?

a - Atochar agudos no AMP.
b - Usar só o captador da ponte
c - Comprar um pedal de Trebble Booster e deixá-lo sempre ligado
d - Trocar os falantes do amp por algum que tenha o timbre mais brilhante

Bom, se você respondeu A, B, C ou D receio que você esteja correto, e é nesse ponto que quero tocar quando digo "possibilidades".

 Tanto o equalizador do amp, quanto um pedal, quanto qualquer opção que eu citei e ainda muitas outras podem prover o timbre matador, levemente comprimido e estalado que nosso guitarrista procura. Então quando me via frustrado girando botões do amp sem conseguir o resultado que desejava comecei a tentar deixar a coisa mais sistematizada. Primeiro ajusto X, depois Y e assim por diante. Ajustando um coisa de cada vez você vai chegando no timbre final mais perto do ideal.

 Na minha opinião nada é mais importante para um guitarrista do que sua guitarra (meio obvio isso não?); pois bem , não riam, mas isso nem sempre foi tão óbvio pra mim. E nem pra Jonny, que ainda não sabe como atingir o timbre "ideal".

O que acontecia comigo, com Jonny e com, acredito eu, muitos de vocês é que me perdia procurando um som num pedal ou amp, antes de olhar pra minha guitarra.

 Não digo que o pedal e o amp não são fundamentais, mas vamos colocar uma ordem de importância para o seu timbre final:

1 - Guitarra
2 - Amplificador
3 - Pedais

 Você já tem a guitarra ideal? Pois é Jonny não, ele tem uma Ibanez com floyd rose que ganhou de seu pai quando ainda era garoto e ainda nem sabia tocar guitarra. Talvez então o melhor jeito dele começar a obter o som que ele quer é começar a observar guitarras que possuem como característica um som estalado e encorpado, sem muitos médios.

 Bem acho que é um bom ponto para começar, vamos parar por aqui agora e num próximo momento vamos tentar imaginar o que aconteceria se ele tentasse uma nova guitarra.

Abraços
Filipe Zanella